Arbitragem no Ceará há 40 dias sem receber

A crise financeira, que assola boa parte dos clubes do Brasil, agora atinge os árbitros de futebol. No Ceará, a arbitragem está sem receber desde o último dia 30 de janeiro, quando a oitava rodada do primeiro turno do Campeonato Estadual se encerrou. De lá para cá já, são 40 dias sem que juízes e bandeirinhas ganhem pelos seus trabalhos realizados.

De acordo com o regulamento da competição, que já vai para a quarta rodada do returno, 29% da renda bruta dos jogos vão para a Federação Cearense de Futebol, que deveria arcar, entre outras despesas, com a arbitragem. Só que o recurso é levado à entidade e depois repassado ao árbitro, aos dois assistentes e a um reserva, e não automaticamente após a partida, descontando direto do borderô.

– Infelizmente, desde a oitava rodada não recebemos nada. Nós estamos tirando dinheiro do nosso próprio bolso para pagar as viagens e as despesas com hospedagem e alimentação, quando temos de apitar jogos fora da capital – relata o árbitro Almeida Filho afirmando que, apesar do incômodo no bolso, diz que isso não atrapalha a atuação dele no campo.

– Ninguém gosta de fazer seu trabalho e não receber. Mas nós estamos apitando os jogos da mesma forma. Quando somos escalados, vamos com a mesma determinação e vontade. Nas quatro linhas esquecemos os problemas extra-campo – afirmou.

De acordo com o presidente da Comissão Estadual de Árbitros de Futebol do Ceará (CEAF-CE), órgão ligado à FCF, Cel. Afrânio Carvalho Lima, a falta de pagamento está sendo causada pelas fracas rendas dos jogos do Estadual.

– Os valores estavam sendo pagos normalmente, mas infelizmente o Campeonato vem sofrendo com rendas muito baixas e que estão dando prejuízo à Federação. Nós sabemos das dificuldades que os árbitros estão passando. Já conversei com o presidente Mário Degésio e ele me falou que está tentando resolver essa situação – comentou.

De acordo com o site da FCF, existem sete árbitros e sete assistentes cearenses do quadro nacional da CBF. Além de 11 juizes e 14 assistentes locais do grupo A, que apitam jogos da primeira divisão do Estadual.

– Vamos ter uma reunião nesta segunda ou terça-feira com o presidente da FCF para resolvermos esse impasse. Mas isso é a primeira vez que acontece no futebol cearense. Nos últimos anos, tudo era pago corretamente – concluiu Almeida Filho, que pertence ao quando da CBF.

O presidente do Fortaleza, Marcello Desidério, que soltou uma nota no site oficial do clube lamentando o imbróglio, informou à reportagem do LANCENET! que no próximo jogo do Tricolor irá solicitar à FCF para que, ao receber o valor da renda da partida, pague de imediato a arbitragem.

No domingo passado, no clássico entre Ceará e Fortaleza, o trio de arbitragem veio de fora do Estado. Evandro Rogério Roman (Fifa-PR), Roberto Braatz (Fifa-PR) e Cleudy Nunes (Fifa-SC) receberam seus créditos, descontados da renda liquida, logo após o fim do duelo.

Anúncios

~ por CearáNews em março 10, 2008.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s